\ {buongiorno danielle}: Sobre despedidas e perdas
01/10/2012

Sobre despedidas e perdas


uma tarde preguiçosa na UNESP com o . Obrigada pela foto! ♥

Meu humor com certeza está melhor, disso não tenho dúvida. Às vezes bate só aquela tristeza, uma nostalgia, aquela saudade maldita... mas são coisas que a gente tem que superar.

Esses dias me surpreendi quando vi que estava passando um filme que eu amo muito no TC Touch, chamado Ironias do Amor. É um filme que me faz pensar muito, com certeza, principalmente sobre a questão de "virar a página". A verdade é que a gente só consegue viver de verdade se resolvermos algo pendente com o nosso passado.

Cada dia eu acredito que a gente cresce um pouquinho mais. Aposto que se você parar para pensar sobre seu dia, vai ver que alguma coisa de bom você aprendeu. Eu percebi que, pouco a pouco, eu fui conseguindo superar certos acontecimentos, mas ainda me pergunto: será que estou pronta para seguir em frente? Mesmo dizendo que sim, no fundo, beeeeem lá no fundo, sei que a resposta é não; ainda não estou pronta para seguir em frente.

Sabe quando algo ainda está incompleto? Tipo um buraco que fica quando a gente perde algo importante? Ou quando a gente vê alguém se afastando e fica sem saber o que fazer, pois já tentou tudo que era possível? É assim que eu me sinto no momento. Confesso que eu sou uma pessoa que gosta muito de cuidar de quem amo. Gosto de dar carinho, atenção, animar as pessoas quando as vejo triste. E é natural que eu receba isso em troca, embora isso nunca não aconteça. Uma citação que me "conforta" demais no filme Ironias do Amor é essa aí de baixo (na verdade me identifico muito com ela):

"O que ela estava passando ia além de minha experiência, e de minha capacidade de consertar. Não tinha o direito de julgá-la. E se escolhesse ficar com ela, sabendo os riscos, tudo que podia fazer era lhe dar amor e respeito. E ver como a história acabaria."

De alguma forma (estranha, confesso), é isso que eu sempre quis. Alguém que sempre procurasse entender o meu lado antes de me julgar e que tentaria, acima de tudo, me ajudar. Não precisa ser um namorado (como sei que muitos de vocês pensaram), mas estou falando de amigos.

Falando sério: se sentir sozinha é a pior coisa que existe. O pior sentimento, a pior sensação. É até pior do que a raiva e o ódio, porque a gente sabe que logo eles passam. Mas com a solidão não é bem assim. É como se você gritasse no meio de um monte de gente e ninguém te escutasse. E, se escutasse, não entenderiam sua dor. Ainda que muitas pessoas digam que "nascemos sozinho e morreremos sozinhos", as coisas não funcionam bem assim. É sempre importante ter alguém do seu lado tanto nas suas conquistas quanto nas suas derrotas, entendem? Não dá para viver sozinho nesse mundo, não.

1 comentários:

Karla Reis. disse...

Everbody needs somebody.
Eu concordo completamente com o que você escreveu, Dani. Se sentir sozinha é a pior sensação do mundo. Como também ver que alguém quer te ajudar mas aquilo não parece ser o suficiente... Mas a gente vai levando com o tempo e do jeito que dá, né? "A vida é assim: cair sete vezes, levantar-se oito."

Qualquer coisa que precisar, me grita! rssss ♥

Postar um comentário